Caro Presidente Putin

Como membros da comunidade mundial baseada na realidade, gostaríamos de oferecer nosso apreço e apoio pela decisão da Federação Russa em fornecer assistência humanitária e militar à Síria e suas forças armadas e ao seu governante eleito democraticamente, presidente Bashar al-Assad, em sua luta contra os terroristas internacionais apoiados pelos EUA.

O começo dos bombardeios direcionados contra os terroristas do Estado Islâmico na Síria acontece em um período crítico1, assim como foi fundamental o papel da Rússia ao prevenir uma intervenção militar ocidental em 2013. Como uma voz de razão e uma força pela justiça, você tem o reconhecimento e o apoio dos sírios, dos russos e de todos os povos de consciência em todo o mundo.

Desde 2011, governantes ocidentais estão determinados a fazer com que a Síria se torne um governo fracassado. Eles foram ao extremo de fornecer investimentos, treinamentos e armas para mercenários estrangeiros que participaram em uma campanha de terror brutal contra o povo sírio e seu legítimo governo2. Essas forças terroristas e fanáticos religiosos não representam a vontade do povo sírio, cuja maioria apoia o presidente Assad. Como você disse em seu discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas, cabe ao povo sírio e somente ao povo sírio decidir quem deve governá-lo.

Em 2013, quando o Ocidente estava prestes a embarcar em uma campanha militar na Síria, a Rússia interviu a fim de negociar uma solução pacífica e diplomática. Em um mundo são, esta seria a resposta natural aos problemas internacionais, e a Rússia não seria a única a fazê-lo. Infelizmente, o Ocidente continua com sua política sem saída, apoiando a violência, a coerção e as intervenções ilegais nos assuntos das nações soberanas.

Enquanto que o Ocidente traz instabilidade, guerra e caos, a Rússia permanece firme em seu compromisso com o diálogo, a cooperação e com as leis e a ordem internacionais. Sua reação à crise na Síria demonstra exatamente isso.

Como você, o presidente Assad mostrou-se ser um homem de inteligência, coragem e boa vontade. E como a maioria das pessoas públicas que possuem tais qualidades, ele tem sido incessantemente difamado e denegrido pela mídia e pelos governos ocidentais. Um exemplo é o massacre em Houla em maio de 2012, no qual 108 sírios foram mortos, incluindo 49 crianças. O exército sírio foi culpabilizado por esta atrocidade, mas revelou-se, posteriormente, que o massacre foi perpetrado por forças alinhadas à organização apoiada pelos EUA ‘Exército Livre da Síria’ (ELS), e que as vítimas eram partidárias do governo sírio3. No fim de 2012, o ELS foi observado assassinando civis sequestrados e soldados fora de serviço4.

Este é o grupo de “oposição moderada” que os funcionários dos governos ocidentais apoiam em seu ataque ilegal contra Assad, e tais funcionários agora acusam a Rússia de bombardear o grupo com ataques aéreos. Tais fatos, além de outros, revelam claramente que o governo americano e seus aliados apenas afirmam guerrear contra o terror, quando, na verdade, eles criam e apoiam o terror de maneira direta em uma tentativa fútil de salvaguardar a hegemonia global americana. Eles fazem isso sem o apoio das Nações Unidas e sem o apoio dos governos legítimos dos países que eles atacam.

O segundo Secretário-Geral das Nações Unidas, Dag Hammarskjold, considerado por John F. Kennedy o maior estadista de seu tempo, viu claramente os problemas enfrentados não só pelas Nações Unidas, mas pelo mundo como um todo. Ele escreveu em 1958:

“O conflito entre diversas abordagens sobre a liberdade dos homens e de suas mentes ou entre variadas perspectivas da dignidade humana e dos direitos individuais é contínuo. A linha divisória está em nós, em nossos próprios povos, e também em outras nações. Ela não coincide com nenhuma fronteira política ou geográfica. A luta derradeira é aquela entre o humano e o desumano. Estamos em um terreno perigoso se acreditarmos que qualquer indivíduo, nação ou ideologia possui um monopólio sobre a justiça, a liberdade e a dignidade humana.”5

Estamos em um terreno perigoso. O autoproclamado monopólio dos Estados Unidos sobre a justiça, liberdade e a dignidade humanas tem sido causa de injustiça, opressão e sofrimento em uma escala gigantesca. A mentalidade ocidental exibida na Líbia e na Síria é verdadeiramente desumana6 – psicopática7 – abarcando os aspectos mais vis da natureza humana8.

Naturalmente, o caráter sub-humano reflete-se nos resultados da política americana na Ucrânia e na Síria. Na Ucrânia, neonazistas são parlamentares e formam batalhões que têm torturado e assassinado homens, mulheres e crianças em Donbass, com a sanção do governo de Kiev. Na Síria, a política ocidental de destruição e apoio ao terrorismo teve como resultado o Estado Islâmico e outros grupos terroristas, cujas práticas são criticadas publicamente – porém apoiadas em privado – pelos líderes ocidentais9. Esta não é a perspectiva que a humanidade deseja adotar. Esta não é a perspectiva que nós buscamos.

Enquanto os líderes mundiais continuarem a se submeter à vontade de políticos psicopatas, a humanidade nunca irá construir um mundo de paz10. Rogamos para que mais pessoas sigam seu exemplo, falando a verdade face ao poder, agindo rigorosamente de acordo com suas convicções e se recusando a serem dominadas pelo medo e pela ignorância. Esperamos que, agindo assim, todos nós possamos fazer nossa parte em criar um mundo verdadeiramente multipolarizado, livre da influência destrutiva dos psicopatas e dos fanáticos, e livre das estruturas políticas nocivas, criadas por eles, que tornam a paz impossível.

Sinceramente,

  • Dietmar Wolf - Australia
  • Marcel meierkord - Germany
  • Hubert Jocham - Germany
  • Wolfgang Herler - Austria
  • Marco Dyhr - Germany
  • Jan Kirschke - Germany
  • Jürgen Freitag - Germany
  • lhkugh mvmh - Anguilla
  • lara malagi - Germany
  • John Edwards - United States
  • Günther Böhm - Germany
  • Mario Autunno - Germany
  • Алексей Кузнецов - Russia
  • Doris kamke - Germany
  • Sergio Vargas Nava - Mexico
  • Pierre Dragisic - United States
  • Eugeniusz Śnieżko - Poland
  • adelheid dana kroening - Germany
  • Uwe Schaertl - Germany
  • Bogdan Zybulski - Germany
  • Heinrich Maack - Germany
  • michael rasmussen - Denmark
  • Stefan Vasters - Germany
  • rita matsangani - Austria
  • Дмитрий Поляков - Russia
Até agora 96,250 pessoas assinaram a carta.

 

Você também pode assinar!


Fontes:

  1. Rússia estabelece “zona de exclusão aérea” para aviões da OTAN sobre a Síria, avança para destruir “ISIS” – Pentágono surta

  2. Documentário “O Diário Sírio”: Quem é responsável em transformar um paraíso em um inferno?

  3. O massacre de Houla foi executado pelo Exército Livre da Síria, de acordo com o Frankfurter Allgemeine Zeitung

  4. O massacre de Houla revisto: “Verdade Oficial” na guerra suja na Síria

  5. “Os muros da desconfiança”, discurso na Universidade de Cambridge, 5 de junho de 1958

  6. A carnificina da OTAN: James e Joanne Moriarty revelam a verdade sobre o que aconteceu na Líbia

  7. Site, “Ponerologia Política”

  8. Patocracia global: seguidores autoritários e a esperança do mundo

  9. Relatório do Pentágono previu que apoio do ocidente aos rebeldes islâmicos daria origem ao ‘ISIS’

  10. Site, “Os autoritários”

 


Caro Presidente Putin e povo russo,

Por favor, aceitem nossas desculpas pelo comportamento de nossos governos e meios de comunicação. As nações ocidentais, lideradas pelos Estados Unidos, parecem determinadas a iniciar uma guerra contra a Rússia. Qualquer pessoa razoável só pode reconhecer as terríveis consequências de uma tal guerra, e faria todo o possível para evitá-la. Na verdade, parece que isto é exatamente o que o senhor, Presidente Putin, está fazendo. Apesar de um fluxo constante de mentiras e provocações, o senhor conseguiu impedir que a Rússia seja arrastada para uma guerra nuclear.1, 2

Os acontecimentos em torno da guerra na Ucrânia são distorcidos, de modo a que o senhor seja apresentado como um agressor, quando os fatos mostram claramente o contrário. Diariamente, as gangues neonazistas cometem atrocidades contra os cidadãos da Nova Rússia e recebem o apoio político e financeiro dos governos ocidentais. O exército ucraniano tem atacado postos de controle e cidades russos e bombardeado regularmente os refugiados tentando fugir do país. A Rússia foi responsabilizada pela derrubada do voo da Malaysia Airlines MH17, embora a evidência sugira que o voo foi abatido pelo exército ucraniano. O senhor oferece ajuda humanitária ao povo de Lugansk, e, em contrapartida, é acusado de contrabandear armas para a Ucrânia.3

Por que é o senhor alvo dessas mentiras e provocações? Os criminosos patológicos do Ocidente estão pressionando para que haja uma guerra com a Rússia, porque eles precisam de um inimigo externo. Enquanto as pessoas estão focadas na “agressão russa”, elas não estão cientes dos verdadeiros culpáveis pelo colapso da economia americana e seu sistema social. O último grande presidente dos Estados Unidos, John F. Kennedy, descreveu o nosso inimigo comum em 1961:

Em todo o mundo estamos diante de uma conspiração monolítica e cruel que se baseia em meios encobertos para expandir sua esfera de influência, com base em infiltração em vez de invasão, em subversão em vez de eleições, em intimidação em vez de liberdade de escolha, com guerrilheiros na noite em vez de exércitos no dia.

É um sistema que arrecadou forçosamente vastos recursos, humanos e materiais, para construir uma máquina estreitamente entrelaçada e altamente eficiente que combina operações militares, diplomáticas, de inteligência, económicas, científicas e políticas. Suas preparações são escondidas, não publicadas. Seus erros são enterrados, e não são expostos nos jornais. Seus dissidentes são silenciados e não elogiados. Nenhuma despesa é questionada, nenhum rumor é publicado, e nenhum segredo é revelado.4

Desde então, o Governo dos Estados Unidos e outras nações ocidentais têm sido infiltradas por esta “conspiração cruel”. Embora não seja necessariamente um grupo unificado, acreditamos que seus líderes pensam e agem sem o peso de uma consciência humana normal. É por isso que eles estão dispostos a sacrificar a vida de milhões ou bilhões de pessoas. Eles fornecem armas para Israel que são utilizadas para o abate em massa de milhares de palestinos. A polícia é militarizada em lugares como a cidade de Ferguson, nos Estados Unidos, para proteger e fortalecer seu poder sobre as pessoas. Eles mentem para começar guerras que aniquilam a milhões de pessoas para aumentar seu poder político. Eles são desprezíveis.5, 6

Como JFK, o senhor foi militar, então é obrigado por um senso de dever: proteger e servir ao povo da Rússia. Parece que, como ele, o senhor reconheceu a loucura da guerra nuclear e defende a paz.7 Recusa-se a endossar o império americano e está trabalhando para minar o seu poder sem se envolver em um conflito militar direto. Em vez disso, a Rússia desenvolveu estreitas relações com muitos países através de organizações como os BRICS, perdoou dívidas passadas e já trabalhou com os seus parceiros para alcançar os objetivos que servem aos interesses do povo. A ideia de alianças internacionais tem sido descrita como uma abordagem multipolar, e esta contrasta fortemente com as políticas unipolares e imperialistas dos EUA, onde os recursos de todos os países são controlados para beneficiar a poucos poderosos, à custa de Nós, o Povo.

Rejeitamos a ganância, o ódio e a sede de poder que manifestam os nossos “líderes”. Estamos indignados e horrorizados com o assassinato de milhões de pessoas inocentes em nome da liberdade e autodefesa. Queremos paz e justiça para todas as pessoas. Queremos uma paz real e duradoura, do tipo que JFK falou uma vez:

Que tipo de paz nós buscamos? Não é uma Pax Americana imposta ao mundo pelas armas de guerra americanas. Nem a paz da sepultura ou a segurança do escravo. Estou a falar de uma paz genuína, o tipo de paz que faz com que a vida na terra valha a pena viver, que permite aos homens e nações crescer e ter esperança, e construir uma vida melhor para seus filhos, não só paz para os americanos, mas paz para todos os homens e mulheres, não só a paz em nosso tempo, mas paz para todo o sempre.8

A verdadeira paz e justiça são impossíveis enquanto a “conspiração cruel” governe os Estados Unidos e, de forma acobertada, outras nações. Oramos para que através de nossos esforços mútuos, possamos derrotar os criminosos sedentos de poder e sem escrúpulos que procuram nos escravizar a todos. Oramos para que, em vez disso, possamos promover uma paz genuína que faça com que a vida na Terra valha a pena viver.

Com os melhores cumprimentos,

  • Dietmar Wolf - Australia
  • Marcel meierkord - Germany
  • Hubert Jocham - Germany
  • Wolfgang Herler - Austria
  • Marco Dyhr - Germany
  • Jan Kirschke - Germany
  • Jürgen Freitag - Germany
  • lhkugh mvmh - Anguilla
  • lara malagi - Germany
  • John Edwards - United States
  • Günther Böhm - Germany
  • Mario Autunno - Germany
  • Алексей Кузнецов - Russia
  • Doris kamke - Germany
  • Sergio Vargas Nava - Mexico
  • Pierre Dragisic - United States
  • Eugeniusz Śnieżko - Poland
  • adelheid dana kroening - Germany
  • Uwe Schaertl - Germany
  • Bogdan Zybulski - Germany
  • Heinrich Maack - Germany
  • michael rasmussen - Denmark
  • Stefan Vasters - Germany
  • rita matsangani - Austria
  • Дмитрий Поляков - Russia
So far 96,250 people have signed the letter.

 

Você pode assinar a carta também!


Referências:

  1. Putin é incorruptível? Revisão por uma norte-americana sobre a personalidade do presidente russo e a transformação do seu país
  2. Putin está tentando salvar o mundo de uma guerra, por Paul Craig Roberts
  3. Putin acusado de derrubar o # MH17 para lançar ataques contra o Banco Mundial do BRICS
  4. Discurso do começo de curso na American University, 10 de junio de 1963
  5. Political Ponerology (A Science on the Nature of Evil Adjusted for Political Purposes) by Andrew M. Lobaczewski
  6. Doctrina do shock: O auge do capitalismo do desastre, de Naomi Klein
  7. JFK e o indizível: Por que morreu y por que importa, de James W. Douglass
  8. O Presidente Kennedy e a prensa, 27 de abril de 1961
  9. Uma carta aberta da Holanda pro Presidente Putin
  10. O síndrome da OTAN, o programa de colaboração no este de EU, e União Euroasiática
  11. Putin não finge – qualquer um que diga que a Rússia está perdendo na Ucrânia não entende como esse jogo é jogado
  12. Putin: Ucrânia é um campo de batalha para o Novo Ordem Mundial
  13. Patocracia global, seguidores autoritários e a esperança do mundo

pdficon_largeBaixar PDF

 

Quer saber por que o Ocidente odeia o Putin?

Leia a Ponerologia Política para compreender a psicopatia do Oeste

Share on Facebook
Share on Twitter
Share on Tumblr